quinta-feira, 25 de junho de 2009

Silêncio


Mãos pousadas no colo,
pernas cruzadas,
olhos manchados de tristeza.
Sentada a um canto,
a moça de vestido longo
que sonhara, esperançosa,
suspirava o fim da festa.



versos e imagem por Eduardo Trindade

8 comentários:

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

muito bacana esse post. também ja tive festas assim. ate que chegou meu par pra dança que está comigo até hj.

Blog Suicide Virgin

Dani Santos disse...

Parece uma valsa triste... palavras soam compassos de solidão... quem chegará para trazer uma rosa para a moça triste?


Abraços pra ti...

Saudades

Marina disse...

Ah, adoro as cenas que você cria por meio de versos.

E parabéns atrasado, né? Eu nem apaguei velinhas de verdade, só metaforicamente.

Sarah Toledo disse...

exatamente!

.
.
.
.

obrigada por seus versos em um dos meus últimos posts. palavras certas em momentos certos.

um abraço.

Meire disse...

Ah, Edú, eu entendo o que você está dizendo, tanto que eu coloquei entre aspas...mas foi porque quando eu tava escrevendo, eu pensei numa palavra e veio ALUMEIAM, sabe...e eu achei que a palavra ficou tão mais bonita, tão mais significativa. rs

Mas aceito sua opnião.
Obrigada! ;)

Meire disse...

opinião*

Marcel Angelo disse...

um suspiro de expectativa e solidão...
foi o que eu senti...

Thaís Butterfly εїз disse...

Já me senti assim, a única que não tiraram pra dançar. Fim de festa.


Lindo, como tudo!


Beijo Edu.