terça-feira, 12 de maio de 2009

Dentro da noite veloz

Xilogravura de Eduardo Trindade

Na quebrada do Yuro
eram 13,30 horas
(em São Paulo
era mais tarde; em Paris anoitecera;
na Ásia o sono era seda)
Na quebrada do rio Yuro
a claridade da hora
mostrava seu fundo escuro:
as águas limpas batiam
sem passado e sem futuro.

(Ferreira Gullar)

Mais uma xilogravura. O título desta foi roubado de Gullar. E assim como há muitas noites, esta pode ser em muitos lugares: na Lapa carioca, em Paraty, São Luís, na antiga Cidade Baixa portoalegrense, ou talvez num sonho...

8 comentários:

Victor Gil disse...

Amigo Eduardo.
Tenho andado um pouco afastado mas não esquecido.
Neste meu comentário quero destacar o nascimento da tua sobrinha. Precisamente no dia em que comemoramos 35 anos que o meu país conseguiu libertar-se de cerca de 50 anos de ditadura fascista.
Para mim é um novo cravo que nasce. É um novo futuro. Desejo que sempre viva em perfeita harmonia, de paz e de liberdade. Sem estigmas, sem preconceitos reciais, sociais ou outros de qualquer espécie.
Hoje estou extremamente sensível. Devido a ter uma atitude de defesa de um sobrinho meu dentro do ambito escolar, estou a ser acusado de difamação pela professora que na sua atitude anti-pedagógica, marginalizou uma criança com problemas de aprendizagem, de integração social e psicológica, e foi prejudicado no seu desenvolvimento intelectual e social. Mas, como dizia um poeta popular do meu país, "a razão mesmo vencida, não deixa de ser razão".
Eu não me calo quando tenho razão, em especial, quando estão em causa os direitos das crianças. Por isso a minha revolta.
Desejo tudo de bom para a sobrinha e para o tio. Tenho a certeza que ela vai ter o melhor tio do mundo. Que está disposto, tal como eu, a protegê-la contra qualquer situação que possa prejudicar o seu desenvolvimento como ser huamano.
Abraços
Victor Gil

Max disse...

Nossa... muito maneiro!
Você tem talento pra tudo, é? :P
Parabéns.
Abraço.

Rouxinol disse...

E eu que pensei que "Dentro da noite veloz" fosse um verso de canção da Adriana Calcanhoto!
Santa ignorância, Batman!!!

Neotenia disse...

Você é mesmo um artista multi... Xoligravura? ADOOOOORO... Vc curte Cordel?

Anitha Rosenrot disse...

Eu escolho o sonho! Apesar de lembrar muito a Lapa ...
Muito boa a xilogravura(adorei essa palavra também.)
Saudades, Edu.

Juliana disse...

Oi, Edu.
Anda sumido, né?
Mais um belo trabalho seu...
=)

beijo

Marina disse...

Adoro as suas xilogravuras. Essa me lembrou uns quadros que tinha na casa da minha avó. Muito lindo.

Abraço, Eduardo.

Marta disse...

Sinto-me uma privilegiada...
:)

gostei. tanto. que nem sei dizer quanto!

beijo