terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Desassossego

Fantasmas assombram a casa.
O vento ruge na varanda,
Cortinas dançam nos batentes.

É noite.

Silvos de outro mundo nas frestas,
Sombras percorrendo as paredes,
No peito uma sensação de não-sei-quê.

E o sono não vem.

Sonha? Dorme? Desperta?
Exausta a alma busca refúgio:
Voar, quase pensar, já não sentir.


por Eduardo Trindade

4 comentários:

Rouxinol disse...

"E essa dor de não saber o que dizer quando há tanta palavra pulando na garganta..."

Marina disse...

A inquietude que rouba o sono. A gente devia ter um botão de desligar. Parar de pensar. Paz.

Beijos, Eduardo!

Márcio Ezequiel disse...

Beleza Eduardo.

Muito bacana este teu espaço aqui. Voltarei mais vezes.
Valeu a visita ao meu blog e as sacadas, deixemos o Zacarias responder então:
"Por instantes, imagino como seria maravilhoso arrancar do corpo lenços vermelhos,azuis,brancos,
verdes. "Encher a noite com fogos de artifício."
Murilo Rubião -
O Pirotécnico Zacarias
VOLTE SEMPRE!!!
http://marcioezequiel.blogspot.com/

Andréia Alves Pires disse...

é bem bonito. e um tanto sombrio... bjo, bjo.